LEONARD COHEN EM RECORD CLUB


recordclub

Beck sempre foi inovador. Mas não parece muito inovador regravar artistas. Pois bem, Beck inovou até naquilo que não parece novidade com o projeto Record Club.

Neste projeto, ele regrava álbuns de alguns artistas ou grupos. O primeiro foi o clássico The Velvet Underground & Nico (aquele famoso com a banana na capa). Agora foi a vez do canadense Leonard Cohen, com o seu primeiro disco, Songs of Leonard Cohen.

A Rolling Stone relatou a notícia, que você pode acompanhar no site do projeto. Vamos esperar pelos próximos…

Leonard Cohen é o próximo alvo do Record Club, de Beck
Binki Shapiro, do Little Joy, está entre os convidados da segunda fase do projeto de covers

Beck divulgou os parceiros da segunda rodada do Record Club, projeto que criou para regravar discos clássicos (de Velvet Underground a Skip Spence) com amigos da cena musical.

Anunciados no início da empreitada, Devendra Banhart e MGMT (de Andrew VanWyngarden e Ben Goldwasser) enfim entraram em estúdio com o músico californiano, assim como Andrew Stockdale, do Wolfmother, e Binki Shapiro, a ponta feminina do Little Joy – Rodrigo Amarante e Fabrizio Moretti, que completam o trio, estão de fora.

Songs of Leonard Cohen (1967), álbum de estreia do canadense, será o próximo disco a ganhar cover de Beck e convidados. A primeira faixa, “Suzanne”, foi liberada no site oficial do anfitrião do projeto.

leonardcohen

Brian LeBarton e Bram Inscore, colaboradores frequentes de Beck, participam. A primeira fase do Record Club, que incluiu versõe de Velvet Underground & Nico e Oar (de Spence), contou com Nigel Godrich, produtor do Radiohead, o ator Giovanni Ribisi e membros do Wilco, entre outros.

Beck explicou aos novatos o conceito do Record Club: “É uma reunião informal de vários músicos para gravar um disco em um dia. Um álbum é escolhido para ser reinterpretado e usado como base. Nada é ensaiado ou arranjado previamente.”

O músico postará uma faixa por semana em seu site. “Como você escutará, algumas das canções são rendições rudes, muitas vezes a primeira versão (…) do que se passou no curso de um dia. Não há intenção em ‘adicionar’ algo ao trabalho original”, afirmou, deixando claro que o projeto zela pela crueza do som, em vez de perfeccionismo.

Ele também dispensou a pretensão de “recriar o poder do disco original”. Caso a nova geração não esteja familiarizada com o disco de Cohen, pode aproveitar a deixa e correr atrás “das canções em suas versões definitivas”.

Beck – que em breve terá disco seu em parceria com Charlotte Gainsbourg (filha de Serge Gainsbourg e Jane Birkin) no mercado – entregou o responsável por eleger Cohen como nova mira do Record Club: Andrew, do MGMT. O próximo passo poderá ser Ace of Base.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s