10 FILMES QUE MARCARAM 2008


Geralmente os anos cinematográficos são bons de dezembro a março, quando aparecem os prováveis concorrentes ao Oscar. Mas a safra 2008 surpreendeu. Em qualquer mês, em qualquer estação do ano, tinha coisa boa nas telas. Abaixo vão os 10 filmes que mais curti de ver no ano. Alguns são de 2007, mas vi agora. Algumas menções honrosas ficam para filmes como Juno, Rolling Stones – Shine a Light, Os Reis da Rua e Queime Depois de Ler. Mas como é um Top Ten, aí vão os dez do ano.

10. Ensaio Sobre a Cegueira (Blindness)
“Na terra de cegos quem tem um olho é rei”. A parceria luso brasileira Meirelles-Saramago surpreendeu. Se uma decisão foi acertada na vida do diretor brasileiro, foi a de ir para Hollywood. Depois do ótimo O Jardineiro Fiel, ele transcreveu esta intrigante história do escritor portugês para as telas, de forma atualizada e impressionante. E a atuação dos atores, principalmente da Juliane Moore, está nota dez.

09. O Gângster (American Gangster)
Ridley Scott baixou o Scorsese nesse filme. Mostrou uma história fascinante e surpreendente num filme que não imaginava que ia ser tão bom, já que os últimos dele não o foram. Denzel Washington e Russel Crowe (que virou o querido do diretor) ficaram muito bem nesse jogo de polícia e ladrão.

08. O Escafandro e a Borboleta (The Diving Bell and The Butterfly)
Não sou fã do cinema europeu, mas as vezes ele me surpreende. Foi esse o caso da comovente história retratada nesse filme. Mostra um poder de vida de um homem que tinha tudo e de repente não tinha mais nada, a não ser um olho no qual piscando se comunicava com as pessoas. Ah se todo o cinema europeu fosse assim…

07. Homem de Ferro (Iron Man)
Não gosto deste tipo de filme, mas o Homem de Ferro é a exceção à regra. Sarcástico e bem humorado, também se destaca pela trilha sonora. Além disso, até o Robert Downey Jr como a figura do herói ficou bem, mesmo que eu sempre ache que ele não tem o perfil para esse tipo de coisa.

06. Quebrando a Banca (21)
Além de um ótimo enredo, o que vale nessa história são os efeitos e sua edição. Outra coisa bacana é o vai e vem do filme e suas reviravoltas que surpreendem os telespectadores. Além disso, a trilha sonora é uma das melhores que ouvi nos últimos tempos no cinema.

05. Vicky Cristina Barcelona (Vicky Cristina Barcelona)
Depois de alguns filmes meia boca como Scoop e Sonho de Cassandra, Woody Allen mudou de ares e mudou a minha concepção dos seus últimos filmes. Os quatro principais artistas da história estão muito bens e o enredo tendo Barcelona como pano de fundo simplismente foi fantástico. Os ventos do Mediterrâneo fizeram bem ao nobre diretor.

04. Antes que o Diabo Saiba que Você Está Morto (Before the Devil Knows You’re Dead)
Sidney Lumet não perdeu a força nesta história sensacional. Depois de fazer obras como Serpico, Um Dia de Cão e Rede de Intrigas nos ano 70, ele veio aos tempos atuais e mostrou que sua forma continua. Além disso, uma atuação belíssima do Phillip Seymour Hoffmann como o cara mau da história contempla a fita.

03. Na Natureza Selvagem (Into The Wild)
Sean Penn mostrou que além de ter criado juizo como ator, também está aprendendo como diretor. Essa tocante história real ainda por cima é brindada com uma excelente trilha sonora de Eddie Wedder, vocalista do Pearl Jam. Já está nas locadoras, vale a pena assistir.

02. Rock n’Rolla – A Grande Roubada (Rock n’Rolla)
Guy Ritche voltou a ser Guy Ritche neste filme, e isso é uma coisa que devemos celebrar. Parece que a Madonna tinha cortado o poder dele de criatividade (apesar do curta Star, promovido para a BMW, em que a própria atua). Neste filme, ele relembrou os bons tempos que teve no seu início com Jogos, Trapaças e Dois Canos Fumegantes e Snatch – Porcos e Diamantes. Se seguir essa linha novamente, vai se consagrar ainda mais.

01. Onde os Fracos Não Têm Vez (No Country for Old Men)
Merecido Oscar dos Irmãos Coen. Essa perseguição de Gato e Rato com três vertentes está demais! Eles fugiram um pouco da comédia dramática como fizeram em Fargo ou então no mais recente Queime Depois de Ler, mas a fórmula ficou fantástica nesse road movie. Além disso, o que é o personagem do Javier Barden, muito maluco! Se o Ethan e o Joel queriam botar o pé na porta de Hollywood com este filme, conseguiram.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s